Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

Adeus ano velho e vem que vem 2013!

2012, o ano da Profecia Maia. Que, por fim, acabou não dando em nada e aquela galera que estava até se abrigando para o tão esperado e temido "fim do mundo" se lascou e agora tem que voltar à realidade. Vi que todos os meus amigos escritores e blogueiros estão escrevendo suas retrospectivas 2012 fofinhas, cheias de nhén-nhén-nhém fofo e agradecimentos. Bom, a minha será simples porque não estou animada para escrever sobre tal.
 * Retrospectiva: meu ano foi meio ruim, mas eu conheci muita gente nova e aprendi coisas importantes que irei levar para o resto da vida. Foi neste ano também que eu percebi que as pessoas são oportunistas e interesseiras e que só corre do seu lado quem te quer bem.
  O mundo também se superou em 2012. Ondas de protestos no mundo todo, massacres, líderes caindo, julgamento do Mensalão no Brasil e o bicho homem cada vez menos humano.
* Agradecimentos: Juro que não vou agradecer ao meu ex-namorado nesta postagem, porque já fiz um texto todo para isso. …

Clichê, auto-ajuda... chamem do que quiserem.

O espetáculo da vida tem que continuar. Seguir em frente é uma habilidade necessária do ser humano, embora muitas vezes seja difícil pois a dor da perda é tão grande que suas forças são esmagadas. Mas, a vida não espera que você se recupere e comece tudo de novo. NÃO! A vida continua, e continua correndo doidamente, e se você não arrancar forças não sei de onde, ficará eternamente para trás.
 Quando criança as coisas eram tão simples. Um beijo de mãe curava uma dor; o abraço de pai protegia do bicho papão. Mas crescemos e nossos monstros são outros. A dor, o medo, as frustrações e as incertezas tomaram conta do seu armário e do piso embaixo da sua cama, e toda noite elas lhe fazem chorar. Ser adulto é aprender a ser forte e entender que não há mais pais e mães com beijos doces que possam curar as dores que nossos erros causam, nem abraços calorosos que possam proteger-nos das duras escolhas.
 A regra é: "levantar e ir em frente!". Não importa o quão dolorido foi o tombo, o…