Pular para o conteúdo principal

Cansaços

Sabe quando você se cansa de todos os dedos apontados para você? Quando você se cansa de lhe rotularem, julgarem e olharem torto para suas decisões? Sabe quando você se cansa de apontar o dedo para as pessoas, julgá-las, rotulá-las e colocá-las sempre num patamar abaixo?
 Pois é. Devido a essa série de cansaços e tantos outros é que larguei mão de algumas coisas e uma delas foi o fanatismo religioso, a necessidade de ir a grupos de jovens e demais encontros. Porque toda vez que eu ia a esses lugares havia pessoas que me olhavam torto pelo tamanho da minha roupa ou pelo modo como falo (com diversos palavrões no meio das frases) ou pela forma como penso. E porque, também, vivendo nesse ambiente aprendi a julgar mais as pessoas e tratá-las como era tratada: olhando torto para o diferente, evitando o "estranho" e pré-julgando os gostos alheios. 
 Mas, deixei de conhecer muita gente legal e boa, e deixei de vivenciar muitas experiências por conta desses meus pensamentos antigos. Só que, como tudo na vida, chega uma hora que algum estalo lhe acorda e você se dá conta que pode "pensar no que pensa" e deixar de julgar, rotular, desprezar, etc. Você se dá conta que também não quer mais isso e simplesmente abre mão. 
Que fique claro que não deixei de acreditar no Deus que sempre acreditei nem de professar minha fé (que sempre foi um ponto forte em mim), mas alguns hábitos tiveram que ser repensados por mim. Aquele exercício do "peraí, no que estou pensando? isso é realmente saudável e significa amar/respeitar mesmo?".


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carta a um felino que cedo me deixou...

Hoje você partiu tão depressa, que não pude me despedir. Ser adulto, as vezes, é uma droga.Você tem que morar fora para estudar e "ser alguém na vida", deixa pessoas que ama e bichinhos também.

Sobre a ansiedade crônica

Muita gente acha que é frescura e que logo vai passar. Outro tanto de gente acha que você só está estressada ou nervosa. Há, ainda, quem ousa dizer que é coisa da idade ou que são os hormônios.

Felicidade. Happiness. Bonheur. Felicità. Felicidad

Hoje não vou falar de desamores ou escrever metalinguagens apaixonantes sobre o meu amor pela escrita e seus benefícios, embora isto por si só já seja uma metalinguagem. Hoje falarei da FELICIDADE, algo tão discutido nos dias atuais e tão clichê, mas que eu estou olhando através de outro ângulo.  Já idealizei muitas formas de felicidade: no amor, na carreira, na família que quero construir, com coisas materiais, etc. Mas eu sempre me esqueci de vivê-la nos pequenos momentos do meu dia a dia. Eu sempre negligenciei vivenciá-la, por exemplo, naquela xícara de café quentinho que se toma quando suas forças estão se acabando; ou naquele doce que um amigo te dá quando você está de TPM; ou, mais simples e menos materialista ainda, no canto daquele passarinho que se ouve da janela do seu quarto numa tarde quente de Outubro.   Sim, meus amores. De uma maneira bem romântica e quase que bucólica (com canto de pássaro) eu descobri a minha. Ela que sempre esteve aqui dentro de mim, pronta para ser…